GreenNation

A sustentabilidade é uma atitude.

Colunistas

Barriga de plástico  


É tudo uma questão de ponto de vista, escolhas e atitudes.

Um sol escaldante, o visual dos 2 irmãos, crianças brincando na areia, amigos reunidos sem hora para voltar para casa, surfistas cortando as ondas e aquele ritmo gostoso do frescobol, o único esporte do mundo que não tem vencedor. Um típico domingo de sol na praia de Ipanema que quase sempre termina com uma emocionante salva de palmas ao pôr do sol e claro, vários selfies.....

Entretanto, quando o sol se põem e voltamos nossos olhares para a areia, o que vemos é uma quantidade enorme de lixo que foi deixado para trás: são garrafas plásticas, copos de plástico, palitos de sorvete, tampas de garrafa e outros restos de embalagens que nem mesmo são vendidas na praia.

E você quer comer peixe com "barriga" de plástico?

E se a embalagem do produto que você consumiu, tivesse sido descartada de forma correta?

Será mesmo que precisamos de um trator para limpar as areias da praia?

O lixo plástico largado na praia contamina a areia, é carregado para o mar e pode ser engolido pelos peixes, que pensam ser alimento. Quando o plástico é tão "grande" que o peixe não consegue engolir, ele se engasga e morre, e se for um "micro plástico" que já se partiu, fica ali dentro dele esperando seguir seu caminho para dentro de um outro peixe maior ou ser consumido por nós....

O plástico não se dissolve magicamente na natureza, nem mesmo os biodegradáveis que precisam de condições específicas de temperatura, humidade e oxigenação para que isto aconteça. Por outro lado, o plástico é uma material altamente flexível, super prático, 100% reciclável e que está muito presente na praia nos dando conforto e diversão: no nosso celular, na barraca e nas cadeiras de praia, nas havaianas, no balde que a criança brinca e até mesmo na sacola que você usou para levar seu picnic para praia.

Sendo assim, é fácil perceber que o mesmo material pode ter UM LADO BOM, quando ele está na forma de produtos ou UM LADO RUIM, quando está na forma de lixo que pode parar na barriga do peixe. É tudo uma questão de ponto de vista, escolhas e atitudes.

A degradação dos oceanos é tão grande que em 2013 personalidades públicas, ex ministros de estado e especialistas de todo o mundo se reuniram para formar a Global Ocean Commission visando ser um ponto de encontro para discutir a governança do oceano, o desgaste dos ecosistemas marinho, o lixo plástico e de forma conjunta, estabelecer metas para a sua recuperação. Isto porque não existem fronteiras geográficas para o movimento das marés. O problema é complexo e de escala global. O lixo nos mares é um problema de todos e uma missão global! Mission Ocean, este foi o nome dado ao plano de ação da Global Ocean Commision.

Agora em Fevereiro, resultados foram publicados em relação ao último ano de atividades e foi destacada a urgência de desenvolvermos uma visão de economia circular para combater o problema do lixo marinho.

Uma importante reflexão não somente para o lixo, mas também especialmente hoje no dia mundial da água (22 Março 2016) que é um dia para reflexão sobre como a água está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem.

Vocêm sabiam que já foram encontradas embalagens de produtos de origem coreana na costa brasileira? Quem nunca colocou um barquinho de papel para ser carregado pelo rio......e você já pensou onde ele foi parar?

Precisamos avaliar e ter um outro olhar para o lixo. Este mesmo lixo pode virar produto de novo em um círculo fechado. Precisamos nos responsabilizar para que este não seja largado de qualquer forma em qualquer lugar. Até porque somos nós que iremos nos beneficiar do lixo reciclado quando aplicado para fazer cadeiras, deques de piscina, camisetas, tênis e até mesmo brinquedos.

Pense nisto na próxima vez que terminar o seu mate, o pacote de biscoito ou o sanduiche que você levou pra praia no saco plástico. Em que produto ele poderia ser transformado?  E no final é  você que sairá da praia pra brincar com o seu skate feito de resíduos plásticos retirados do oceano!

... e ninguém merece comer peixe com barriga de plástico.

 No próximo artigo você vai conhecer mais sobres estes produtos circulares...

 

 


24 de março de 2016

Beatriz Luz

Beatriz Luz

Especialista em Sustentabilidade estratégica e Economia Circular com mais de 10 anos de experiência na Inglaterra. Nos últimos 5 anos atuou na Odebrecht Ambiental e Braskem e teve um papel importante na disseminação do conceito de ACV no Brasil ...

[+] Ver artigos deste colunista